24 set

Como aliviar as dores nas costas durante a gestação

Fisioterapia manual e pilates são os grandes aliados das futuras mamães antes, durante e após o nascimento do bebê

Diversos são os fatores que causam dores nas costas das futuras mamães, mas o principal deles se deve as mudanças estruturais internas que acontece no momento da gestação. Com o desenvolvimento do bebê, o útero aumenta de tamanho e com isso, vai comprimindo e realocando outros órgãos e músculos da região abdominal, alterando automaticamente o centro de gravidade do corpo da mulher que, automaticamente, passa a forçar os nervos da coluna vertebral.

Tão comum, quanto o crescimento da barriga, as dores nas costas (mais conhecidas como lombalgia) atingem oito, em cada dez mulheres grávidas. “Com a perda do equilíbrio, também comum nessa fase, é natural que a mulher comece a envergar a coluna para sustentar o peso, e ao contrário do que elas acreditam, esse movimento contribui para a instalação das dores. Por isso, minha dica é tentar manter a saúde da coluna, cuidando de orientações posturais durante as atividades do dia a dia realizando exercícios para mobilidade e ativação dessa musculatura.” – pontua o fisioterapeuta e diretor clínico do ITC vertebral unidade de Guarulhos, Bernardo Sampaio.

Como evitar dor nas costas na gestação

As dores costumam aparecer no segundo trimestre ficando ainda mais intensas, ao fim da gestação, mas há ainda aquelas que começam a sentir o incômodo desde o começo. Por isso, o ideal é ajudar nessa preparação corporal através de uma rotina de exercícios de fortalecimento e alongamento. O pilates tem sido uma atividade muito praticada pelas gestantes, prescrita inclusive por muitos obstetras.

Com o acompanhamento de um profissional especializado em gestantes, os exercícios serão focados no fortalecimento da coluna (impedindo que as dores se instalem); nos membros superiores (pensando no pós-parto e no quanto os bebês exigem dos braços das mamães) e em toda a musculatura abdominal (o que ajuda na hora do parto e evita a diástase abdominal).

“Para as dores na lombar, podem ser feitos muitos exercícios de mobilidade da coluna, e fortalecimento da musculatura estabilizadora, que irá reduzir esse desconforto. Assim como exercícios para fortalecer o assoalho pélvico, para preparar a mamãe para o parto e pós-parto! O inchaço nas pernas ao fim da gravidez é muito normal, e neste quesito, os exercícios de pilates também atuam diretamente” – garante a fisioterapeuta com formação em pilates solo e aparelhos para patologias da coluna e estabilização segmentar vertebral e diretora do Instituto Pilates Guarulhos, Ana Luisa Marçal.

Ana Luisa ressalta que as mulheres que já praticam pilates podem continuar a atividade normalmente, enquanto as novatas na modalidade precisam aguardar o fim do primeiro trimestre e solicitar liberação médica para iniciar a prática com segurança.

Mas, enquanto isso, nada de ficar parada. Caminhadas leves ao ar livre são excelentes, já que as dores e incômodos que a barriga causam não atrapalham só na hora de andar, mas em todos os outros movimentos e se o corpo não for trabalhado corretamente para aliviar esses desconfortos, a gestante não consegue curtir sua gestação.

Além de se manter em movimento, o fisioterapeuta dá uma dica valiosa de alongamento que pode ser feito a qualquer hora do dia: deite-se com a barriga para cima, com as pernas dobradas e vá segurando uma perna de cada vez enquanto posiciona as mãos na parte de trás das coxas. Segure a perna por um minuto nesta posição e inverta o lado.

De uma maneira geral, Bernardo Sampaio ressalta que exercícios de posicionamento de barriga para cima com as pernas fletidas podem trazer um alívio momentâneo, assim como o exercício em quatro apoios. O alongamento da cadeia posterior em muitos casos não é indicado, podendo inclusive piorar o quadro de dor. “Desta maneira é importante pontuar que o acompanhamento de um especialista é de fundamental importância para a prescrição correta, bem como o melhor exercício” – conclui.

Saiba mais sobre os especialistas:

Ana Luisa Marçal - fisioterapeutaAna Luisa Marçal: é fisioterapeuta (Crefito: 127346-F) e atua como Diretora Clínica da Unidade de Guarulhos, do Instituto Pilates. A profissional possui formação em pilates solo e aparelhos para patologias da coluna e estabilização segmentar vertebral; além de especialização em fisioterapia Neurofuncional pela Irmandade Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Saiba mais em: www.institutopilates.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

Bernardo Sampaio - Fisioterapeuta

Bernardo Sampaio: Fisioterapeuta pela PUC-Campinas (Crefito: 125.811-F), diretor clínico do ITC Vertebral e do Instituto Trata, unidades de Guarulhos, Bernardo Sampaio é também professor do curso de pós-graduação em fisioterapia traumato-ortopédica do Instituto Imparare e do curso de fisioterapia do Centro Universitário ENIAC (Guarulhos) e também leciona como convidado nos cursos de pós-graduação na Santa Casa de São Paulo. Possui experiência em fisioterapia ortopédica, traumatologia e esporte; e especialização em fisioterapia músculo esquelética, aprimoramento em membro superior e oncologia ortopédica pela Santa Casa de São Paulo. Mestrando em ciências da saúde pela faculdade de ciências médicas da santa casa de são Paulo. Saiba mais em: www.institutotrata.com.br  e www.itcvertebral.com.br