Categoria: Gestantes

Zika: saiba mais sobre o vírus que pode provocar microcefalia

Zika: saiba mais sobre o vírus que pode provocar microcefalia

Nos últimos dias muito se tem falado do Zika, um vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, e que está relacionado à microcefalia e má-formação fetal. No dia 1º de dezembro, a Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu um alerta para medidas de diagnóstico e acompanhamento de casos, confirmando a relação da doença de microcefalia com o Zika.

De acordo com o Dr. Artur Timerman, infectologista, só no Brasil os casos de Zika cresceram cerca de 400% em relação a 2014. “Já o déficit de crescimento cerebral foi detectado em 160 cidades do país, nas regiões Nordeste e Norte. Mesmo assim, não temos a dimensão real da doença, pois muitas vezes os sintomas podem não ser manifestados nos portadores. Ainda há muita chance de a doença chegar ao sul e sudeste dentre os próximos meses”, explica.

aedes-aegypti

Prevenção

Ainda não existe uma vacina específica contra a doença. Por isso, o médico recomenda que a mulher em seus primeiros meses de gravidez tome um extremo cuidado para não ser exposta ao mosquito. O especialista compartilha que se possível, as grávidas ou mulheres que estejam planejando engravidar, protejam as áreas mais expostas do corpo, como rosto, pernas e braços. Uma opção é usar repelentes que contém um princípio ativo chamado Icaridina, que é seguro para as gestantes.

Outros cuidados, como não deixar água parada em vasos de planta, trocar sempre a água dos animais de estimação, não deixar a caixa d’água destampada e manter sempre o quintal limpo, devem ser tomados. “Esses são os locais escolhidos pelo Aedes aegypti para reprodução, então mesmo que seja em um pequeno espaço, mas com água limpa e parada, ele se torna um ambiente totalmente propício para a fêmea colocar seus ovos”, destaca Artur.

Sobre a Microcefalia

Microcefalia é uma condição neurológica onde o cérebro do portador é menor do que o normal, pois ele não teve o desenvolvimento normal e adequado durante a gestação. A doença pode desencadear ainda problemas com as funções motoras e de fala, retardo mental, dificuldade de equilíbrio e coordenação, distorções faciais, além de outros sintomas.

Até o dia 30 de novembro deste ano foram constatados 1.248 casos de microcefalia no Brasil.

 

Artur-Timerman

*Dr. Artur Timerman, infectologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos.

Congelamento de óvulos

Congelamento de óvulos

“Conheça um pouco mais sobre a técnica que ajuda a preservar a fertilidade”

Ter uma família com filhos é o sonho das maiorias das mulheres. Mas, algumas vezes este sonho pode encontrar obstáculos como doenças, disponibilidade e até mesmo a falta de um parceiro ideal. Assim, muitas mulheres adiam o sonho de engravidar, o que pode complicar uma futura gestação.

Exames que devem ser feitos durante a gravidez

Exames que devem ser feitos durante a gravidez

“A médica Ana Lúcia Beltrame fala sobre os principais exames e seus benefícios para a mãe e o bebê.”

Existem alguns exames que são primordiais para garantir a saúde das gravidas e dos bebês. De acordo com a Dra. Ana Lúcia Beltrame, especialista em ginecologia, obstetrícia e reprodução humana, os exames precisam ser feitos ao longo de toda a gestação, pois eles serão fundamentais como triagem para detecção de qualquer problema.

Uso de medicamentos durante a gravidez

Uso de medicamentos durante a gravidez

Posso usar algum remédio durante a gravidez?

A gestação humana dura, em média, 270 dias, e durante este período a mulher pode ficar doente e precisar de medicamentos para resfriados ou alergias. Além disso, ela pode necessitar de tratamento para doenças crônicas, como diabetes e artrite e estes não podem ser interrompidos, apesar da gravidez. Nesses casos, é importante que a saúde da mãe também seja respeitada e que ela tenha as melhores condições possíveis para dar luz ao bebê.

Infográfico sobre os tipos de parto

Infográfico sobre os tipos de parto

O setor 3 fez um interessante infográfico explicando os tipos de parto. Para as mulheres, é importante conhecer as possibilidades, especialmente se a gravidez for de baixo risco. O projeto O Renascimento do Parto já visa alertar que o parto mais natural e com menos intervenções pode ser uma experiência única para mães e bebês, além de evitar traumas desnecessários e longa recuperação.

“O Renascimento do Parto”

“O Renascimento do Parto”

Este é um projeto voltado para a humanização dos partos. Segundo dados, o Brasil está no primeiro lugar onde acontecem mais partos de cesarianas, e o indicado pela Organização Mundial de Saúde é de apenas 15%.